Blog - Eventos

Postado em 06 de Dezembro de 2013 às 15h25

A Criança X Obesidade

Dicas de Saúde (13)
Training Park Academia Novo Conteúdo 19 A obesidade já é considerada uma epidemia pela Organização Mundial de Saúde. E pior: não são apenas os adultos que figuram nessa estatística. Cada vez...

A obesidade já é considerada uma epidemia pela Organização Mundial de Saúde. E pior: não são apenas os adultos que figuram nessa estatística. Cada vez é maior o número de crianças que estão muito acima do peso.

É verdade que, hoje em dia, é muito difícil resistir à tentação do shopping, à uma tarde na frente da TV ou do vídeo game, rodeada de tentações, àquele pacote de salgadinhos, ao sanduíche do MC Donalds, à batata frita, ao refri-gerante, etc.

O resultado disso, para algumas pessoas, significa muitos quilos a mais, e uma série de complicações de saúde. Mas a obesidade não é exclusiva de jovens e adultos. A criançada também tem sofrido cada vez mais com esse problema, que já é considerado pela Organização Mundial de Saúde como uma epidemia. Se não for tratada, a obesidade infantil pode tornar-se uma tremenda dor de cabeça na idade adulta.

Mas afinal, o que é a obesidade? De acordo com o Consenso Latino-Americano em Obesidade, trata-se de uma enfermidade crônica, caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura em tal proporção que acaba comprometendo a saúde.

Entre as complicações mais comuns decorrentes do excesso de peso, estão alterações osteomusculares, colesterol alto, hipertensão arterial, diabetes, e até mesmo o aumento do risco de câncer.

Inúmeros especialistas afirmam que a obesidade não tem cura. O que há, segundo eles, é o controle da doença ao longo da vida, com a mudança de hábitos de vida - através da reeducação alimentar e da adoção de atividades físicas regulares.

Um problema crescente:

Nas últimas duas décadas, a obesidade infantil tem crescido na maior parte do mundo. No Brasil, por exemplo, há um dado curioso: há mais pessoas obesas do que subnutridas. E esse índice tem se mostrado crescente. De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, nos anos 80 as crianças representavam apenas 3% dos obesos. Atualmente, elas representam mais de 17%.

Outra pesquisa realizada pela Organização Panamericana de Saúde, mostra que a obesidade infantil no Brasil cresceu nada menos do que 240% nos últimos 20 anos. As estimativas apontam que entre 20% e 25% das crianças e dos adolescentes sofrem de obesidade ou sobrepeso.

Entre as justificativas estão o sedentarismo (que impede que a criança queime as calorias ingeridas), a má alimentação e o alto consumo de produtos industrializados.

Desta forma, o Profissional de Educação Física Regis Soares vê na atividade física diária incentivada, tanto na infância como na adolescência, como uma especial e natural via de combate à obesidade.
O começo de tudo está em casa, onde os pais devem dar bons exemplos aos filhos adotando também um estilo de vida ativo e de uma forma saudável de se alimentar. As escolas também devem se envolver promovendo educação física diária, do jardim da infância até o ensino médio.

As aulas de educação física, segundo as recomendações da American Academy of Pediatrics, devem incluir a participação de todas as crianças. As acima do peso e as obesas devem ser incentivadas a praticar esportes, atividades recreativas e psicomotoras que façam com que se movimentem.

Prof. Regis Soares
Cref 03/SC nº 00009 – G
Especialista Desporto Escolar
Diretor Administrativo
Training Park Personal Academia
Chapecó - SC

Veja também

Estilo de Vida e Hábitos Saudáveis22/09/15 Frequentemente nos deparamos com dicas, guias, manuais sobre a boa prática esportiva e suas consequências. Entretanto, apesar da procedência de alguma informação com dado científico, raramente elas estão adaptadas a realidade da condição individual. É importante avaliarmos o valor que a sociedade dá para a aparência física,......
Atividade Física Após Cirurgia Bariátrica06/12/13 Os efeitos do excesso de peso estão a tornar-se dolorosamente claro. O que vemos hoje é a associação direta do excesso de peso ligado ao aumento de doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral, pressão......
Sedentarismo aos 40 prejudica a saúde do cérebro02/05/16De acordo com um novo estudo, pessoas sedentárias na meia-idade podem ter redução do volume cerebral e envelhecimento acelerado Ser sedentário aos 40 anos pode contribuir para o envelhecimento e redução do volume cerebral na terceira idade. É o que diz um estudo publicado recentemente na revista científica Neurology. A pesquisa, realizada por......

Voltar para Blog